This site is also available in English
team

Estatuto da equipe para trabalho remoto

Esta ferramenta guia a equipe no processo de elaboração de um estatuto para trabalho remoto, definindo as diretrizes e o comportamento esperado de quem trabalha à distância. Os membros da equipe refletem sobre suas próprias experiências com trabalho remoto e usam essa visão para criar um estatuto compartilhado para o grupo/organização.

Parte do curso "Liderando equipes na era digital”

Um curso online de 6 semanas que ajudará você e sua equipe a trabalhar melhor juntos, sendo mais eficazes e atingindo metas. Tenha acesso as mais modernas ferramentas para promover cultura, colaboração e liderança em tempos de mudança e complexidade.

Course Page
  1. Passos 1:

    Criar uma cultura forte de trabalho remoto é de suma importância, tornando-se cada vez mais crucial para qualquer empresa moderna conectada.

    É preciso, obviamente, uma maneira diferente de trabalhar, pois quem trabalha remotamente costuma estar em diferentes locais físicos, com diferentes padrões de trabalho (que se adaptam ao resto do cotidiano da pessoa) e diferentes necessidades. São poucas as empresas totalmente remotas e, em nossa experiência, uma forte cultura de trabalho remoto pode inspirar uma cultura presencial melhor e mais efetiva.

    Obviamente, este workshop pode ser feito remotamente. No caso, basta utilizar uma ferramenta do tipo Mural.

    O primeiro passo é refletir sobre a experiência que o grupo tem com trabalho remoto. Peça para pensarem 5 a 10 minutos nas experiências que tiveram com trabalho remoto.

    • O que possibilitou a eficácia do trabalho remoto?
    • O que prejudicou a eficácia?

    Os participantes devem fazer anotações. Quando tiverem terminado, peça que compartilhem rapidamente suas reflexões em duplas.

  2. Passos 2:

    Partindo das reflexões sobre o que funcionou e o que não funcionou, peça aos participantes que criem seus próprios princípios essenciais para o trabalho remoto.

    Cada um deve escrever entre 5 e 10 princípios, com um máximo de 5 palavras para cada um.

    Quando todos tiverem terminado, compartilhe-os em um espaço visível para todos.

  3. Passos 3:

    Próximo: técnica simples para decidir com quais princípios seguir adiante. Chama-se mapa de calor.

    Dê a cada participante um pacote com bolinhas adesivas (bolinhas digitais também são boas!) e peça para colocarem 1 bolinha nos princípios que gostam, e 2-3 nos princípios que adoram.

    Quando todos terminarem, dê um passo atrás e veja onde está o calor. Costuma ficar bem claro quais princípios devem ser usados ​​e quais devem ser descartados. Passe algum tempo discutindo os resultados do mapa de calor.

    Se não estiver claro, você pode escolher uma pessoa para lançar o voto de Minerva. Essa pessoa recebe 5-10 bolinhas maiores para colar nos princípios que desejar, levando em consideração as discussões e o mapa de calor. As bolinhas do voto de Minerva são vinculativas.

    São os princípios que você usará para elaborar o estatuto.

  4. Passos 4:

    Escrever o estatuto com todo mundo em um processo colaborativo levaria muito tempo. Para acelerar o processo, designe uma pessoa para elaborá-lo.

    É preciso criar um documento colaborativo (como um Google Doc) para que o resto do grupo possa comentar e corrigir.

    Não deixe de definir um prazo rígido para a conclusão do estatuto. Uma vez que estiver pronto, você pode começar a implementá-lo como equipe.

    O estatuto deve evoluir ao longo do tempo. Faça um piloto com o projeto de estatuto por um período de tempo determinado. Passe 5 minutos no final das reuniões online, refletindo sobre a eficácia da equipe ao incorporar os princípios.

    Após esse período, reúna a equipe para uma reflexão mais profunda. Faça as atualizações com base na reflexão do grupo.